PARA REFLETIR

EDUCAÇÃO É NOSSA RESPONSABILIDADE

O objetivo que nos une é o mesmo: queremos criar nossas crianças voltadas ao bem, confiantes no Pai Celestial, protegidas e amadas. Crianças que convivam com pessoas de bem, sintam-se seguras e reconheçam como se proteger diante de tudo que as ameaça. Que exerçam seus direitos sem omitir seus deveres. Queremos crianças que se voltem em auxílio ao seu semelhante, sejam cidadãos conscientes e contribuam para se ter um lugar melhor para viver.
Somos todos educadores: pais, professores, conselheiros, demais membros da família em Cristo. Todos podemos contribuir de alguma forma para o sucesso desse empreendimento difícil, mas com resultados eternos, que é a educação de nossos filhos.

Elenara Predebon Fernandes da Silva, secretária do Clube de Aventureiros Florestinha.

quinta-feira, 26 de março de 2009

O MOSQUITO da DENGUE



O Aedes aegypti apresenta listas pretas e brancas. É mais encontrado picando durante o dia. A presença desse mosquito da dengue indica que o foco (ou criadouro) está muito próximo, geralmente dentro da própria casa: jardins e quintais são os locais mais comuns. Portanto é necessário procurar o foco para eliminá-lo.

Transmissão

A transmissão se dá quando o mosquito Aedes aegypti, após sugar o sangue de uma pessoa infectada, pica uma pessoa sadia e transmite o vírus. Após 3 a 5 dias da picada, a pessoa poderá apresentar os primeiros sintomas.
Não há transmissão pelo contato direto com um doente ou suas secreções, nem por meio de fontes de água ou alimento.

Desenvolvimento do mosquito

Os ovos são colocados na parede interna do recipiente que esteja com água, próximos à lâmina d’água. Não importa o volume de água, nem o tamanho do recipiente. Os ovos ficam aderidos à parede interna do recipiente por até 1 ano e 4 meses, sem qualquer presença de água.
Para que o inseto complete seu ciclo de desenvolvimento é necessária a presença de água. Da larva até a fase adulta bastam 9 a 12 dias.
A fêmea do Aedes aegypti não tem preferência por água de esgoto, mas se larvas (“martelinhos”) e ovos do mosquito forem lançados no ralo, esgoto, vaso sanitário, o desenvolvimento se dará normalmente.

Criadouros mais comuns
• Tonéis, caixa d’água, tanques, cisternas, jarras, barris – representam mais de 70% dos focos (criadouros) mais comuns;
• Pneus, peças de carro, materiais de construção;
• Materiais descartáveis (garrafas, copos), vasos e pratos de plantas;
• Recipientes naturais (cocos, aberturas em troncos de árvore) e calhas.
Todo e qualquer recipiente que permita o acúmulo de água é um criadouro em potencial. Elimine tudo que acumule água indevidamente e mantenha sempre fechados (sem brechas) os depósitos para armazenamento de água.

Extraído de http://www.recife.pe.gov.br/especiais/dengue/info1.php

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AVENTUREIROS SLIDE SHOW